Internet das Coisas: O Futuro

04/11/2016 Internet

Há poucos anos jamais imaginaríamos o quão a internet estaria enraizada em nosso dia a dia. Hoje a ideia de viver sem um smartphone é impensável. Os dispositivos vieram para ficar, e não há qualquer previsão que o contrário aconteça. Até 2020, segundo o Garthney, o mundo deverá contar com 26 bilhõse de dispositivos IoT (Internet of Things, Internet das Coisas) em ação.

Já pensou em ter escova de dente, garrafa, mala, cama e até torradeira conectados à internet? O certo é que esses dispositivos do mundo IoT terão papel cada vez maior na sua vida, com impacto na sua privacidade e segurança. O analista de sistemas da Zius - Soluções Web, Eduardo Rodrigues, não enxerga o fenômeno como tão novo assim.

"Hoje já contamos com plataformas de desenvolvimento de tecnologia capazes de automatizar qualquer dispositivo, como por exemplo, há fogões em que é possível programar o tempo que a chama ficará ligada, a intensidade do fogo e sensores de desligamento automático quando não tiver panela na boca", relata. Ele completa dizendo ainda que uma possível implantação da internet das coisas em um fogão seria sua integração com aplicativos ou websites de receitas que ensinariam o passo-a-passo do preparo de pratos.

Zius - Soluções Web - Criação de Sites, Softwares, Aplicativos, Hospedagem

"Já contamos com plataformas de desenvolvimento de tecnologia capazes de automatizar qualquer dispositivo." Eduardo Rodrigues, Empresário

Para o adminsitrador de redes da Solti Tecnologia, Adair Filho, portas que se abrem automaticamente, sensores de presença, de temperatura ou de luz, comandos por apps inteligentes, entre outras comodidades que antes eram difíceis de imagina, já estão presentes no dia a dia da maioria das pessoas e são algumas das vantagens oferecidas pela intensa presença de tecnologia em nossas vidas.

No entanto, nem tudo são flores. Toda essa integração também traz riscos à segurança dos dados e também à privacidade. Eduardo destaca que quanto mais softwares, aplicativos e sites ligados à web, maior será a exposição, o que torna as informações particulares públicas. "Infelizmente ainda há falta de profissionalismo e qualificação em muitas empresas ligadas à tecnologia e com a "viralização" da IoT, surgem negócios interessados apenas no lucro, banalizando o preço do produto de qualidade e preocupando menos com a segurança e integridade da informação", pontua.

Adair acredita que as pessoas estão colocando a tecnologia acima de tudo. Outro ponto negativo apontado por ele é a dependência das operadoras de telefonia. No lado do fabricante, é necessário treinar desenvolvedores e engenheiros sobre segurança da informação. Na ponta do consumidor, é importante a conscientização de todos sobre os riscos da internet e exigir do fabricante informações sobre segurança e atualização de dispositivos. Se todos fizerem sua parte para uma internet mais segura, quem sabe poderemos usufruir com tranquilidade os benefícios da IoT, como sermos avisados pelo app do celular quando nossas torradas ficaram prontas. Nossa, como poderíamos viver sem isso?

Não encontrou uma saída para o seu problema?

Entre em contato e juntos vamos construir uma solução.